READING

O Diretor de arte e o Designer gráfico

O Diretor de arte e o Designer gráfico

Antes de tocar em um assunto tão delicado e contraditório, é preciso manter a cabeça aberta e ter a plena noção de que muitos egos serão afetados. Não se preocupe, nossa caixa de email está aberta e ajudaremos com os custos de terapia para os mais prejudicados.

Como a grande maioria dos leitores trabalha na área visual, é bom lembrar que somos dotados de um cérebro bem diferente da maioria dos mortais. Nosso hemisfério direito exerce dominância sobre o esquerdo, realizando mais sinapses e nos presenteando com uma melhor capacidade de compreender dados visuais e práticos do que por escrito. Este fato é comprovado cientificamente, agora corra e explique à sua mãe porque não aprendeu a cozinhar enquanto ela ditava a receita. Se ela a tivesse desenhado, hoje seu nome estaria no Guia Michelin.

No país do futebol, qual a melhor maneira de mostrar a diferença entre direção de arte e design gráfico? Ambas as áreas de atuação são dignas de respeito e tem suas vantagens e desvantagens, seus limites e suas características. Claro que os papéis podem se inverter. Um diretor de arte pode fazer um projeto de design gráfico e a recíproca também é verdadeira. Analisamos aqui somente a diferença entre os dois ofícios, não quem os executa.

O diretor de arte é aquele cara na praia de Copacabana que atrai milhares de turistas enquanto faz embaixadas e truques free-style. Aquilo é tão bonito de se ver que chegamos a nos perguntar como aquele cara ainda não assinou contrato com a Nike. O designer gráfico é o Ronaldo, que jogava um futebol vistoso, raramente fazia uma firula mas cumpria o objetivo do jogo, o gol.

O diretor de arte é o cara que encanta a todos com seus truques de layer effects e filtros de Instagram. Quando questionado pelo conceito visual, ele citará o Chicó: “não sei, só sei que foi assim”. A busca pelo belo é tão instigante e tão transcendental que ele entra em transe e esquece até do horário do almoço. Não me entenda mal, é uma das minhas áreas de atuação e realmente acho que precisamos de mais beleza neste mundo para compensar tanta violência e tantas horas no congestionamento.

O designer gráfico já é diferente, possui mais restrições e deve ser mais sistemático e aplicado. Ele pode até fazer uma firula, mas o importante mesmo é o gol. Muitas vezes troca uma bicicleta na trave por um gol de rebote, tudo em prol do objetivo do seu cliente. E olha que o Ronaldo tinha a clientela mais chata do mundo, 190 milhões de brasileiros. Como diria o Falcão: “não precisa ser de placa, eu quero ver gol”.

Um fator primordial aos dois ofícios é saber trabalhar em equipe. Não importa se você é um craque free-style ou se você é o homem-gol, o importante é saber sua função no time e desempenhá-la sem estrelismo. Os dois têem que jogar de acordo com as assistências erradas do marketing, os cruzamentos tortos do RP e principalmente, de acordo com as regras do técnico, o Branding. E olha que as vezes este não é tão claro. Já presenciei manuais de Branding que pareciam o Joel Santana falando inglês.

De um jeito ou de outro, o objetivo desta analogia não é julgar nem classificar nenhum dos dois profissionais. Ambos possuem suas características próprias e há lugar para todos no mercado. Em um mundo moderno, onde disciplinas se mesclam e se inter-relacionam constantemente, o importante é saber definir onde você vai jogar pois o futuro de ambos os ofícios continua promissor. Se o objetivo é a estética e a beleza, jogue bonito. Se o objetivo é a função, faça o gol sem firulas.


  1. Luiz, gostei do seu texto, se for lido com atenção por todos acredito que não vamos ver nenhum comentário problemático por aqui… Se aparecer faz parte, podias evitar isso com um infográfico =D (ainda da tempo)

    Queria te fazer uma pequena sugestão… Imagino que a idéia do titulo era chamar atenção, mas já que a analogia é o futebol e “fator primordial aos dois ofícios é saber trabalhar em equipe”. Seria bacana um titulo que somase. Diretor de Arte e o Designer Gráfico, que tal?

    Abraço

    • Luiz Gustavo Neiva

      28 maio

      Olá Bolívar, ótima sugestão em relação ao título, tanto que já a acatei. Um infográfico seria bem legal mesmo, pena que não dá mais tempo. Obrigado pelas sugestões! Abraço.

  2. Cassio

    14 maio

    Faltou dizer que o design utiliza um processo, então se o resultado final vai ser “chamativo” ou não vai depender do projeto. A estética é associada a funcionalidade e se procura adequar isso de acordo com cada projeto.

    • Luiz Gustavo Neiva

      28 maio

      Falou e disse Cassio. Muito bem colocado. Obrigado!

  3. O texto ficou bom, mas ao ver, arriscado. Você fala muito por cima das duas profissões, não especificando muito, se esse era o objetivo (designer xD), ficou bacana, mas se o objetivo era distinguir realmente um do outro e sanar dúvidas, faltou mais ‘designer’.
    Resumindo, o texto foi escrito por um D. de Arte, mas a ideia passada foi a de um Designer.
    Gostei da relação.

    • Luiz Gustavo Neiva

      20 junho

      Olá Esley, muito bacana suas colocações. Realmente, é só uma singela tentativa de diferenciar os dois ofícios de uma forma bem humorada, se fosse entrar em detalhes acho que teria que escrever um livro 🙂
      Enfim, a ideia era mesmo fazer uma abordagem mais leve, por se tratar de um assunto meio “temido” onde qualquer deslize é fatal. Espero ter ponderado na medida certa. Abraço!

  4. Ygor Moretti

    5 setembro

    Muito bom o site e muito bom o texto, pois juntando seres visuais, num veículo ruim para leitura (Internet), textos muito complexos ou acadêmicos demais acabam sendo desinteressante. O que li aqui está na medida certa, qualidade da informação, tamanho e numa pegada mas que em nada perde em qualidade ou credibilidade. Acredito nessa parceria Diretor + Design o problema é que na prática temos que ser os dois num só, correndo o grande risco de não ser nenhum dos dois de forma plena. Abraço e parabéns!!!

  5. Neto Lima

    20 novembro

    Olá!

    Adorei o texto, gostaria de te agradecer por responder essa questão de uma forma CRIATIVA e DIVERTIDA.

    “Criatividade é inteligência, divertindo-se” (Albert Einstein)

    Eu porem resumir e gostaria de saber se fiz de forma coerente.

    Designer Gráfico elabora projetos pensando e priorizando a usabilidade.

    Diretor de arte desenvolve campanhas publicitárias e ações, voltadas ao mercado em dupla com o redator. O qual geralmente tornasse diretor de arte com mais frequência que um designer gráfico.

    Fico no aguardo da resposta de todos a respeito desse resumo gostaria de saber se esta de acordo e se não, porquê não?

    Agradeço a atenção de todos.
    Facebook: Neto Lima

    E-mail: aleneto_@hotmail.com / alexandreespinhara@icloud.com

  6. Franciele Barros

    28 julho

    Oi Gustavo! Achei muito engraçada a comparação até esclareceu um pouco, mas quem atua com direção de arte é formado em que curso, artes plásticas?

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

INSTAGRAM
KNOW US BETTER